Como prometido nesse post, hoje é dia de falar sobre A Arte da Não Conformidade, de Chris Guillebeau.

Eu acredito que os livros são uma forma de ver e entender o mundo de uma outra maneira, pois além de você aprender sobre um assunto, você passa a conhecer um universo diferente, o universo do autor.

Quando terminei esse livro, a primeira coisa que pensei foi: “todas as pessoas deveriam investir um tempo nesse livro”. Ele definitivamente mudou minha forma de enxergar como a vida deve ser, e após a leitura eu tenho visto que, talvez, a vida convencional não seja o que eu quero pra mim.

A seguir, escreverei em tópicos o que mais gostei e o que mais achei interessante durante a leitura do livro.

  • Decisões de vida

Logo no começo do livro, no prólogo, ele já chegou com uma voadora no meu peito. Ele faz a seguinte afirmação: “Não importa se as pessoas estão pulando em um abismo. Tome suas decisões. Viva sua vida.”. Uau, que soco na boca do estômago. Minha mãe costumava dizer a mesma coisa, mas  não de forma muito erudita: “você não é todo mundo”.

Viver de forma não convencional pra mim é algo que, além de novo, chega a ser meio maluco. A educação que recebi é que eu deveria ter uma profissão, uma casa, um carro e viajar de vez em quando.

Nada contra as pessoas que pensam que a vida deve ser isso mesmo. No entanto, depois de ler A Arte da Não Conformidade, eu comecei a reafirmar para a minha mente que a minha vida não precisa ser a vida que as pessoas querem que seja.

Ainda no prólogo, o autor continua a quebrar paradigmas. Ele diz o seguinte: “A presença do abismo e as expectativas dos outros são, de certa forma, inevitáveis. Mas cabe só a você pular ou não”. E é incrível como ele quebra as suas crenças em questões de minutos.

  • Medo

As pessoas não vivem a vida como querem por várias razões. A principal razão pra mim é o medo. As pessoas tem medo de não dar certo. Tem medo do que as pessoas irão pensar sobre suas atitudes. Po Broson diz que: “A ausência do medo não é a coragem; a ausência do medo é um problema mental”. Ou seja, é normal ter medo, mas necessário enfrentá-lo. A meta deve ser vencê-lo, ao invés de fingir que ele não existe.

Tenha medo sim. Mas tenha medo de viver na mediocridade. Medo de ficar fazendo sempre as mesmas coisas. Medo de mudar. Medo de inovar. “Progresso é uma bela palavra, mas seu motivador é a mudança. E a mudança tem seus inimigos” – Robert F. Kennedy.

  • Não

Qual a razão para continuarmos dizendo sim para coisas que a gente não quer fazer? Por qual motivo, razão ou circunstância, continuamos indo a reuniões insuportáveis, a eventos sem sentido algum? O autor deixa bem claro que você tem que separar as coisas entre sim e não. Você deve dizer SIM para coisas que você realmente quer fazer. Coisas que fazem você feliz e/ou que possa ajudar outras pessoas. E ser bem claro ao dizer NÃO para as coisas que você não quer fazer.

Não há razão para fazer as coisas que você não quer só por obrigação. É claro que você não chegará no seu chefe amanhã metendo a mão na cara dele, irá sair xingando as pessoas da empresa e sair arrumando inimizades. Mas você pode simplesmente pensar em uma forma de sair desse serviço e fazer algo pra você!

  • Faça coisas para você – o tempo todo

O ponto crucial do livro é quando o autor diz que você deve pensar em criar algo para você. Pode ser um site, um blog, ou qualquer outra coisa que você se sinta bem ao realizar as tarefas. O que o Chris mais diz o livro inteiro é que é necessário que você esteja pronto para construir coisas para si mesmo, o tempo inteiro.

Ao invés de passar 10, 20, 30, 40 anos na mesma empresa, fazendo o mesmo serviço, as mesmas coisas, as mesmas atividades para ganhar um pouco de dinheiro e pagar as contas no fim do mês, porque não fazer algo diferente pra você?

Pode ser um blog, um site, mas que seja algo que te faça feliz. Algo que faça você acordar de manhã e pensar: “hoje vou fazer algo excepcional!”.

Bom, nem preciso dizer que esse livro mudou minha forma de pensar né? E essa é a principal razão de eu ter criado o Mente Literária. Ler é algo que eu gosto muito e compartilhar isso com as pessoas é ainda mais legal!

Espero que esse resumo possa te incentivar a ler o livro e que o livro te incentive a mudar de vida!

Título: A Arte da não conformidade  – Estratégias não convencionais para viver a vida segundo suas próprias regras

Autor: Chris Guillebeau
208 páginas
Editora Saraiva
Skoob
Nota: ★★★★★ | 10/10 
Sinopse: Se você já pensou que na vida tudo é possível e que ela pode oferecer muito mais a você, leia este livro.Baseado no popular manifesto on-line de Chris Guillebeau, “A Brief Guide to World Domination”, A arte da não conformidade põe em xeque premissas comuns sobre a vida e o trabalho ao mesmo tempo em que mune o leitor de ferramentas para viver a vida em sua plenitude.

Você descobrirá como viver seguindo suas próprias regras e explorar ideias como estabelecer metas radicais, trabalhar por conta própria, realizar viagens de maneira econômica (ou realizar outros sonhos e ainda de maneira econômica) e ver a vida como uma constante aventura. Com a inspiração e a orientação proporcionadas pela história do próprio autor e de outras pessoas que buscaram estilos de vida não convencionais, você poderá elaborar seu próprio plano para viver como realmente deseja – e ao mesmo tempo fazer do mundo um lugar melhor.